terça-feira, 1 de setembro de 2009

!!! Parada e sem Mudança !!!


Na última sexta-feira, 28, o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab afirmou ao presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT Xande Peixe dos Santos que a Parada Gay não deixará a Paulista no ano que vem. A próxima Parada do Orgulho LGBT de São Paulo acontecerá em 6 de junho de 2010.

Na última edição do evento, em 14 de junho último, um ataque na dispersão da Parada resultou na morte de um homossexual, o cozinheiro Marcelo Campos Barros, de 35 anos. Ainda na dispersão desta mesma Parada, uma bomba caseira foi atirada de um prédio no Largo do Arouche ferindo cerca de trinta pessoas. Outros incidentes e brigas ocorreram na Parada 2009. No mesmo dia da Parada, o comando da Polícia Militar declarou que a Paulista não comportava mais o evento. A Prefeitura passou a estudar o assunto e sugeriu novos endereços para a Parada. Na semana seguinte à Parada, familiares e amigos do cozinheiro assassinado por um grupo homofóbico realizou protesto na Vila Madalena. No sábado seguinte, ativistas se uniram no Centro de São Paulo para protestar contra a violência homofóbica observada na Parada. Mas os ativistas pediram que o evento continuasse na Paulista.

Obervar _e protestar contra_ a violência homofóbica da maior e mais importante Parada Gay do Brasil é mesmo um contrasenso. Deveria ser um lugar legítimo de protesto, diversão e visibilidade. Jamais de violência. Jamais poderia ter se tornado palco de homofobia. Tornou-se.

Além disso, nenhum clube da cidade colocou seu trio na avenida em 2009, derrubando sensivelmente a animação da massa, que teve que se contentar com os trios de ONGs e sindicatos. A Parada também calculou mal seu tempo de duração, fazendo correr os trios em disparada. Na Paulista, os trios terminaram seu trajeto antes das 16h30, deixando uma verdadeira multidão que chegava à avenida para trás. Pela primeira vez a PM não divulgou seu número oficial de participantes. Sobrou para a APOGLBT (organizadora do evento), estimar o número: deu 3,1 milhão, número menor que 2008 _o que era mais que visível na avenida.

A Parada é uma das principais atrações turísticas da cidade e é importante momento de visibilidade para a comunidade. Mas é verdade que precisa mudar seu formato para continuar relevante. Grantir a segurança dos participantes deve ser o principal objetivo dos organizadores agora que a Paulista está liberada.